8 Maneiras de Aumentar Seu Bem-estar

Posted By Rafael Reinehr on 11 mar 2019 | 0 comments


Pesquisas sugerem que a admiração pode torná-lo mais feliz, mais saudável, mais humilde e mais conectado com as pessoas ao seu redor

Há 15 anos, cientistas têm estudado a emoção complexa e misteriosa chamada de admiração/satisfação/deslumbre – uma que você pode ter sentido se tivesse ficado em frente ao Taj Mahal, caminhado entre as imensas sequóias, ou se sua mente tivesse explodido em um concerto, ou balé.

Induzindo arrepios e mandíbulas caídas, as experiências de admiração são notáveis ​​por si mesmas. Além disso, um corpo crescente de pesquisas sugere que sentir admiração pode levar a uma ampla gama de benefícios, desde felicidade e saúde até benefícios talvez mais inesperados, como generosidade, humildade e pensamento crítico.

Em nossas vidas ocupadas, buscar admiração e satisfação pode estar lá em baixo em nossa lista de prioridades. Mas podemos estar subestimando seu poder. “Uma prescrição simples pode ter efeitos transformadores: procure mais experiências diárias de admiração”, escreve o Dacher Keltner da GGSC. A pesquisa mais recente sugere que aproveitar o tempo para experimentar o deslumbre – seja por meio do envolvimento com a natureza, curtir grandes obras de arte ou música ou mesmo consumir vídeos empolgantes do YouTube – pode ser um caminho para melhorar sua vida e seus relacionamentos.

1. Admiração/satisfação pode melhorar o seu humor e torná-lo mais satisfeito com sua vida.  

Precisa de um impulso de humor ou um matador de estresse? Alguns estudos sugerem que sentir admiração pode ajudar.

E você não precisa fazer uma viagem ao Grand Canyon para realizar o trabalho. Basta assistir a apresentações de slides e vídeos que causam empolgação, isso pode melhorar seu humor e bem-estar, de acordo com alguns estudos. Outro estudo descobriu que as pessoas que lêem uma história curta e empolgante sobre ver Paris do alto da Torre Eiffel relataram maior satisfação com a vida naquele momento do que pessoas que leram uma história sobre ver uma paisagem plana do alto. É claro que é difícil superar as experiências do mundo real – portanto, em um estudo recente, os pesquisadores levaram veteranos militares e jovens de comunidades carentes para praticar rafting. Eles descobriram que quanto mais satisfação os participantes sentiam, mais melhorias eles viam em seu bem-estar e sintomas de estresse uma semana depois. De acordo com uma pesquisa diferente conduzida pelos pesquisadores, estudantes de graduação relataram maior satisfação com a vida e bem-estar nos dias em que passavam tempo na natureza, o que era atribuível ao maior nível de admiração que sentiam naqueles dias. Isso sugere que a admiração talvez seja um ingrediente crucial nos poderes restauradores da natureza.

2. Admiração/satisfação pode ser bom para sua saúde

Experimentar a admiração ao longo do tempo poderia potencialmente ter benefícios de saúde a longo prazo, pelo menos de acordo com um estudo. Pessoas com uma tendência geral maior a sentir admiração – mas nenhuma das outras sete emoções positivas estudadas – tinham níveis mais baixos de interleucina-6 (IL-6), um marcador de inflamação (muita inflamação está associada a uma série de doenças crônicas ).

Uma segunda parte do estudo descobriu que os participantes que relataram sentir mais “admiração, satisfação e empolgação naquele dia” tinham níveis mais baixos de IL-6; isso era verdade mesmo depois de explicar a tendência geral das pessoas de sentir admiração e estar aberta a novas experiências. Em outras palavras, todos nós – e não apenas pessoas propensas a sentir satisfação com frequência – poderemos colher os benefícios para a saúde de um dia particularmente maravilhoso.

No entanto, este estudo não pode nos dizer se o admiração/satisfação diminui a inflamação ou se as pessoas com mais inflamação têm menor probabilidade de sentir admiração – uma questão para pesquisas futuras.

3. Satisfação pode ajudá-lo a pensar mais criticamente.

Alguns estudos sugerem que a satisfação pode ser capaz de aguçar nossos cérebros. Um estudo descobriu que, quando as pessoas eram induzidas a sentirem-se empolgadas, eram menos persuadidas por argumentos fracos do que as pessoas que faziam uma atividade neutra (imaginando lavar a roupa). Em contraste, algumas outras emoções positivas – como entusiasmo antecipado ou diversão – tornaram as pessoas mais suscetíveis a argumentos fracos.

Curiosamente, um recente artigo teórico argumenta que a admiração pode ajudar a facilitar o aprendizado científico e o raciocínio em crianças. Por exemplo, quando uma criança vê uma bigorna e uma pena cair no mesmo ritmo no vácuo, essa experiência provavelmente viola sua compreensão intuitiva de como a gravidade funciona, evocando sentimentos de reverência que os levam a desenvolver uma nova teoria sobre as relações entre peso, gravidade e movimento.

Da mesma forma, um estudo recente descobriu que pessoas que têm uma disposição maior para experimentar admiração tinham uma compreensão mais acurada da natureza da ciência e eram mais propensas a rejeitar o criacionismo e outras explicações cientificamente questionáveis ​​sobre o mundo. É importante ressaltar que essas pessoas não tinham maior “fé” na ciência; eles apenas entenderam melhor como a ciência funciona.

4. A admiração pode diminuir o materialismo

Alguns estudos sugerem que sentir satisfação/deslumbre pode diminuir o sentimento de materialismo. O experimento com a história da Torre Eiffel também descobriu que, quando é dada uma escolha hipotética entre um bem material (como uma mochila de US$ 50) ou um produto experiencial (como um vale-presente de US$ 50), as pessoas que lêem a história inspiram o produto experiencial com mais frequência do que as pessoas do outro grupo.Em outro estudo, participantes que relembraram uma experiência maravilhosa atribuíram menos valor ao dinheiro do que participantes que recordaram uma experiência feliz ou neutra, e vendo imagens indutoras reduziu o esforço que as pessoas estavam dispostas a por para ganhar dinheiro a (onde o esforço era medido pela tolerância para ouvir um som desagradável). Por que o deslumbre/admiração pode diminuir o materialismo? Segundo os pesquisadores, a resposta pode estar na autotranscendência que a admiração pode inspirar. “As pessoas começam a apreciar seu senso de individualidade como menos separado e mais inter-relacionado à existência maior”, escrevem eles. “A experiência de admiração eleva as pessoas de suas preocupações mundanas, que são limitadas por experiências diárias como o desejo por dinheiro.”
Outra evidência para esta ideia vem de um estudo recente, sugerindo que o deslumbre/admiração pode funcionar como um amortecedor contra a emoção negativa quando você perde bens materiais. Depois de passar o tempo admirando o mundo ao seu redor, perder os óculos novos pode não parecer tão ruim.

5. Admiração faz você se sentir menor e mais humilde 

Um dos efeitos mais profundos da admiração é como ela pode mudar nossa percepção de nós mesmos em relação ao mundo maior. Em particular, vários estudos mostraram que a admiração pode nos fazer sentir pequenos, diminuídos ou insignificantes – o que os pesquisadores chamam de efeito “pequeno eu”. Em um estudo particularmente interessante, os pesquisadores perguntaram aos visitantes do Parque Nacional de Yosemite e do Fisherman’s Wharf (uma área turística de São Francisco) sobre seus sentimentos de admiração e outras emoções, bem como sobre seu senso de identidade. Os turistas da Yosemite relataram sentir muito mais admiração, representaram seu eu atual com círculos menores (quando receberam uma escolha de tamanhos) e desenharam auto-retratos que eram quase 33% menores do que os turistas no Fisherman’s Wharf. Além de fazer as pessoas se sentirem fisicamente menores, a admiração também pode tornar as pessoas mais humildes. Um estudo recente descobriu que as pessoas que são mais naturalmente propensas a sentir admirção foram classificadas como mais humildes por seus amigos. Incentivar os participantes a sentirem-se maravilhados levou-os a reconhecer seus pontos fortes e fracos de uma maneira mais equilibrada e a reconhecer melhor como as forças externas contribuíram para seus sucessos.


6. Admiração pode fazer você sentir como se tivesse mais tempo

Admiração também pode expandir nossa percepção do tempo. Um estudo descobriu que as pessoas induzidas a sentir admiração sentiam-se menos impacientes e concordavam mais fortemente com declarações que sugeriam que o tempo é abundante e expansivo, do que as pessoas induzidas a sentir felicidade. Os pesquisadores especulam que, ao nos imergir no momento, a admiração pode nos permitir saborear o aqui e agora.

“Experiências que causam deslumbre podem oferecer uma maneira eficaz de aliviar a sensação de fome de tempo que assola tantas pessoas na vida moderna”, escrevem os pesquisadores.

Com mais tempo em suas mãos, as pessoas que sentem admiração relataram uma maior disposição para oferecer esse tempo a outras pessoas – para oferecer seu tempo, mas não seu dinheiro, para ajudar uma instituição de caridade – em comparação com as pessoas que se sentem felizes.

7. Admiração/Satisfação pode te tornar mais generoso e cooperativo.

De fato, vários estudos descobriram que sentir admiração pode tornar as pessoas mais gentis e generosas. Por exemplo, um estudo descobriu que as pessoas com maior tendência para admiração eram mais generosas em tarefas de laboratório, como a distribuição de bilhetes de rifa entre si e um participante desconhecido. E as pessoas que estavam entre os imponentes eucaliptos pegaram mais canetas para um experimentador que as “acidentalmente” derrubou, do que as pessoas que olhavam para um prédio grande não tão inspirador.  Juntos, esses estudos sugerem que a admiração pode nos levar a ajudar os outros e a sermos mais generosos, talvez por causa da maneira como nos encoraja a nos concentrar menos em nós mesmos e expandir nossa percepção do tempo disponível.

8. A admiração pode fazer você se sentir mais ligado à outras pessoas e à humanidade

Admiração tem uma capacidade incrível para unir as pessoas. Pesquisas sugerem que a admiração nos ajuda a nos sentir mais conectados com as pessoas em nossas vidas e com a humanidade como um todo. Em um estudo, os participantes passaram um tempo perto de um esqueleto de Tyrannosaurus rex ou em um corredor comum. Quando solicitados a se descrever, os espectadores de dinossauros usavam mais descritores universais (como “uma pessoa” ou “um habitante da Terra”) em vez de descritores mais específicos (como “alto”, “amigável” ou “um estudante ”) do que as outras pessoas, sugerindo que o  deslumbre e admiração aumenta nossa sensação de que somos parte de um todo maior. Outro estudo constatou que pessoas que passam por essa admiração e satisfação relataram se sentir mais conectado com sua comunidade em comparação com pessoas que se sentem neutras (um efeito que só pode ser válido para pessoas com alta autoestima). Curiosamente, outra parte deste estudo encontrou evidências de que a cultura também pode influenciar os efeitos de admiração, levando as pessoas de culturas individualistas a sentirem que sua rede social se expandiu (eles se sentem mais próximos de mais pessoas) e pessoas de culturas coletivistas se sentem mais próximas daquelas em sua rede.

Como uma ciência de 15 anos, a pesquisa sobre este tema está literalmente em sua adolescência. Isso significa que muitas das descobertas discutidas neste artigo são baseadas em muito poucos estudos (e, portanto, devem ser tomadas com um grão de sal). O que os pesquisadores não sabem sobre admiração, satisfação e deslumbre eclipsa de longe o que eles sabem. Por exemplo, não sabemos muito sobre como a admiração afeta as crianças durante o desenvolvimento, como a satisfação está relacionado a experiências religiosas e espirituais e como o deslumbre pode ser usado terapeuticamente. E os pesquisadores estão apenas começando a explorar a neurociência da admiração.

Mas com o crescente interesse entre os psicólogos e o público no tópico, o futuro desta pesquisa parece brilhante – talvez até impressionante.

 

Por Summer Allen, em 2 de outubro de 2018, na Mindful.org. Este artigo foi adaptado de Greater Good, a revista on-line do Greater Good Science Center da UC Berkeley, um dos parceiros da Mindful.

❤  Compartilhe sua Paixão por Compaixão

Autocompaixão. Calma. Alegria. Resiliência. Confiança. O mundo precisa de mais disso tudo. E é por isso que produzimos este conteúdo para você, com o objetivo de trazer as melhores práticas, aconselhamentos e insights sobre meditação, mindfulness em busca de uma Consciência Plena do mundo que nos cerca.

Para que possamos seguir em nosso serviço e trazer compaixo e conexão aos corações, casas e comunidades de milhares de nossos leitores, e se voc acha que nosso trabalho tem valor e quer ajudar o mundo a se tornar mais Consciente e Desperto, considere fazer uma doação hoje!
Muito obrigado!

Doação Única de Qualquer Valor via PagSeguro: 


Submit a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: